featured Graziele Tomaz

Odeio a religião, mas amo Jesus. Será?

08:00:00Saulo Brunello


A insanidade religiosa e cultural de hoje tem vedado nossos olhos para o Verdadeiro Evangelho. A brutalidade como a bíblia é exposta na maioria das vezes impede com que a Verdade seja de fato mostrada.


Nossa geração tem o rico hábito da arte de PENSAR. Tudo que nos é ensinado, não tomamos como verdade absoluta até analisarmos a fundo cada ponto. Eu particularmente, amo me relacionar com pessoas assim. Mente aberta...

A maioria dessas pessoas, não cristãs, enxergam problemas na exposição da Palavra que nem mesmo quem está nesse meio há muito tempo não vê. Elas analisam o que ouvem, procurando encontrar coerência com o que o expositor vive, ou pelo menos razão lógica pra ideia exposta aplicada em nosso cotidiano. 

Meu texto de hoje não busca exortar os religiosos. Pelo menos tento não gastar energia com isso mais. O texto é para nós, os "mente aberta", que ficaram cansados da hipocrisia religiosa.
Ouvir e ver tanta hipocrisia, tem nos transformado em pessoas céticas ao extremo. É tipo um trauma, onde criamos uma barreira contra tudo que tem a ver com o cristianismo para aplicar em nossa vida cotidiana.
É preocupante!

Não me envergonho de admitir que por muitas vezes fiquei duvidosa quanto a existência de Deus, baseada somente no que ouvia a respeito dEle. Na maioria das vezes Ele é exposto como um velho rabugento e duro, que impõe leis absolutas sem se importar com o que sentimos ou passamos. Mas por ainda sentir que Ele existe, procurei saber a Verdade estudando além do que ouvia. E mesmo com os trancos e barrancos que a vida tem dado, aprendi que esse é o certo a fazer. Não crio a esperança de que vou entender Deus de forma absoluta e nem de que vou acertar sempre, porque isso é realmente impossível. Mas não podemos deixar que a insanidade religiosa atual mate a nossa fé. Como nós jovens teremos um bom caminho? Observando a Palavra (Salmos 119.9)! Então vamos lá...

Se analisarmos Romanos 12.2 de forma cautelosa, vemos que Paulo não nos diz para ignorarmos nossa cultura. Ele alerta a gente a concentrar nossa atenção em Deus! Não adianta a gente reclamar da exposição bruta da religião, dizendo que Deus é amor, se não temos base pra contra-argumentar. Acusamos eles de serem ignorantes, mas somos da mesma forma quando ignoramos somente por ignorar. 

Me identifico muito com Paulo com o que ele diz em Gálatas 1.10: "Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo". Porém me identifico assim quando leio sem refletir melhor. Porque se você reparar bem, ele não está simplesmente tocando o "foda-se" pra opinião dos outros. Ele está colocando sobre si mesmo uma responsabilidade maior ainda! Agradar a homens é muito fácil em comparação a querer agradar a Deus! A coisa é mais embaixo... Querer agradar envolve amor! Quem ama, procurar agradar. E como podemos afirmar se amamos a Cristo se não conhecemos Ele de verdade? Eu pelo menos, nunca digo a alguém que o amo sem o conhecer muito! E [in]felizmente cara, a gente só conhece Jesus de verdade, estudando sobre quem foi Ele quando esteve aqui na terra (estudando a bíblia) e tentando um relacionamento constante com ele (diálogo, oração).. "Infelizmente", porque sei o quanto é aparentemente chato fazer isso. Mas vai por mim, o hábito vicia a gente! Você não perde nada tentando!

Vi um post esses dias e refleti muito sobre ele: "Obedeça o mais forte. Essa é a implacável lei da sobrevivência. Mas se não quiser ficar preso a essas palavras, você deve conseguir um poder ainda maior, pois há momentos em que só o poder pode confrontar o poder". Deixando de lado o sentindo literal da coisa, a lógica é muito semelhante a ideia que expus aqui no texto. 

Então, fica meu conselho (nossa.. to me sentindo "a" anciã kkk). Mesmo sem saber muito da vida, acredito que experiências e bons aprendizados não precisam esperar a velhice pra compartilhar.
Vamos tentar ser além de meros ignorantes do que ouvimos. Vamos ouvir com sabedoria e respeito e, acima de tudo, analisarmos na própria Palavra a "veracidade dos fatos" pra aplicar em nossa vida prática. Existem hoje várias versões da bíblia numa linguagem contemporânea que facilita muito a nossa compreensão. Posso indicar pra você alguns, caso queira. É só pedir. Conheço vídeos bacanas e seguros na internet que são ótimos pra sanar várias das nossas dúvidas em relação a um trilhão de coisas da bíblia. No mais, se ainda assim não despertarmos interesse em realmente buscar saber qual é a vontade de Deus para agradar a Ele, vamos tentar pelo menos não dizer que O amamos. Querendo ou não, é incoerente e nos tronamos justamente o que condenamos os religiosos de serem, hipócritas. Eu mesmo, não gosto quando alguém que não me conhece bem, diz que me ama. Tenho a certeza dentro de mim que essa pessoa ACHA que me ama. Mas precisa me conhecer melhor, meus defeitos, minhas manias, minha personalidade mais a fundo, pra depois dizer com absoluta certeza que esse sentimento é real e verdadeiro. 

Uma coisa me deixa feliz: Ele me ama!
Afinal, quem me conhece melhor do que aquele que me criou? E eu vou tentar sempre retribuir esse amor. Caindo e levantando, mas sabendo que Ele vai estar sempre ali, pronto a me ajudar. Acho que pra alguém que deu a sua vida por mim, o mínimo que eu poderia fazer é dar a minha pra Ele também...

Oro a Deus pra que você possa conseguir enxergar esse amor dEle pela gente. Vai na minha, vale a pena. 

Graziele Tomaz 

You Might Also Like

0 comentários

Mensagens Mais Lidas

Pensamentos e Reflexões Cristãs

Formulário de contato