consciência Daivson

Ninguém Pediu Sua Opinião

19:04:00Marco Cicco



Certo dia andando eu pela cidade me deparei com uma grande avenida altamente movimentada, carros indo e vindo em alta velocidade, oferecendo um enorme risco a vida de qualquer pessoa que tentasse atravessa-la andando, e eu precisava atravessa-la para chegar ao meu destino. Sabiamente alguém entre as autoridades da cidade colocou sobre ela uma passarela para pedestres, permitindo que as pessoas transitassem livremente sem o risco de um atropelamento que lhes custassem a vida, e logo que a vi sorri, pois alguém providenciou uma ferramenta para me preservar a vida.

Caminhando em direção a passarela, me deparei com alguém que olhava para os dois lados da avenida dando indicio que se arriscaria no meio dos veículos, fui até ele e lhe mostrei a passarela, o lugar apropriado para nós, pedestres, atravessarmos a avenida. Enquanto eu lhe falava, alguém gritou, “deixe ele, ele não pediu a sua opinião”, e logo após outra voz que dizia “ele está exercendo sua liberdade, deixe que ele atravesse, não o empece” e outra voz disse ainda mais alto “ o que te importa que ele atravesse nesse ponto, se ele chegar ao outro lado vai dar no mesmo”. Aquelas pessoas que incentivavam tal ato, eram todos grandes empresários funerários, e se ele arriscasse sua vida pela avenida, teriam altas probabilidades de ganhos em seus negócios.

Bom, essa história é apenas uma ilustração dos nossos dias e de como anda a igreja brasileira. As pessoas estão cada vez mais abertas ao relativismo e apregoando a liberdade humana, mesmo que isso lhes custe a vida. A grande maioria dos ditos pastores, querem arrancar a lã e a gordura de suas ovelhas, incentivando-as a atravessarem essa avenida, e assim que forem atropeladas e suas vísceras estiverem a mostra, esperam pela madrugada onde não há carros na rua para irem até lá e recolherem seus destroços, e logo voltam para a calçada em busca de mais lã e gordura para se fartarem. 

Alguém durante o dia tenta salvar uma ovelha, alertando-a dos perigos daquele caminho, logo os mercadores da fé gritam e se agitam, incitando a multidão a fazer o mesmo. “Segue seu caminho” eles gritam, “ninguém pediu a sua opinião nesse assunto” continuam eles “ se alguém quisesse te ouvir teria te perguntado”, os argumentos são sempre os mesmos, e a multidão ecoa.

Porém aquele que foi posto para “defesa do Evangelho” (Filipenses 1:17), sabe que aquele assunto, é um assunto de vida ou morte, que a sua opinião nada mais é que um grito ou um conselho para salvação daquela alma. O arauto nunca vem em seu próprio nome, ele sempre traz boas novas daquele que o enviou, ele diz apenas o que sei Rei lhe ordenou dizer, ele lê e estuda a mensagem deixada pelo seu Senhor, e isso faz o lembrar que a mensagem não mudou, os arautos dos primeiros séculos até os atuais ecoam a mesma mensagem de Salvação. O arauto é conhecedor dos caminhos de seu Mestre, e sabe quais são os caminhos de vida e de morte, ele não tem opinião, ele tem a Palavra. 

Irmão, sei que você muito provavelmente não é adepto dessas seitas ditas cristãs de nossa época, porém também não se coloca como defensor do evangelho e um arauto proclamador da reta justiça. Só há dois caminhos, duas escolhas e dois lados, e se você ainda não se encontrou em um dos lados, possivelmente está do lado errado, pois para estar na multidão não precisa fazer nada, pois é como diz o velho ditado: “Quem cala, consente”.

Oremos.


Daivson Barbosa

You Might Also Like

0 comentários

Mensagens Mais Lidas

Pensamentos e Reflexões Cristãs

Formulário de contato