domínio próprio featured

Frutos do Espírito: Domínio Próprio

23:38:00Marco Cicco




Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. (Gálatas 5:22)

Confesso que sempre quando li sobre o Fruto do Espírito sempre achei o domínio próprio era o mais difícil de ser praticado e vivido, mas depois que iniciei os estudos mudei meu modo de ver. Não estou dizendo que é o mais fácil de praticar, mas também não é nenhum “bicho de Sete Cabeças”.

Desde o princípio da humanidade com Adão e Eva vemos como é difícil o homem dominar sua mente, seus desejos e seu corpo. Na primeira tentação que tiveram se entregaram aos desejos e não conseguiram dominar seus impulsos e como consequência disso é que foram expulsos do Éden.

Depois disso o pecado passou a tomar conta da nossa vida até o dia em que nosso senhor Jesus Cristo veio para mudar toda a história. Ele venceu seus desejos carnais e mesmo no momento de maior tentação como no deserto quando foi tentado pelo diabo (Mateus 4) e depois no Getsêmani quando disse: “Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua”. (Lucas 22:42). Ele venceu e conseguiu dominar toda a situação. Quando Jesus disse: “Está Consumado” (João 19:30), o pecado e todo mal não tem mais poder sobre nós. 

Vamos analisar os frutos do espírito anteriores para notarmos como o domínio próprio é apenas uma consequência e não um desafio quase impossível.

Amor: Falamos que não há como falar dos Frutos e não começar com o Amor, pois o amor é o principio de tudo como vemos em João 3:16, quando Deus nos amou de tal maneira que entregou seu filho Jesus por amor. Também lemos mais sobre o amor em I Coríntios 13. 

Alegria: Falamos que as alegrias dessa vida são passageiras e somente a alegria que vem de Deus é eterna. Devemos aprender a nos alegrar mesmo em meio as dificuldades e circunstâncias da vida. A alegria do Senhor é a nossa força.

Paz: Em Efésios 2:14 diz que "Ele é a nossa Paz." Por isso ainda existe guerras, preocupações, porque as pessoas estão buscando a paz aonde não existe. Somente Cristo e no seu sacrifício no calvário podemos ter a verdadeira Paz. 

Longanimidade: Aprendemos que seremos longânimos quando estivermos mais próximos de Deus. As aflições da vida irão tentar nos sufocar e nos derrubar, mas quando nossa fé está no Senhor nada poderá nos abalar. Vemos isso na vida de Jó,

mesmo com tantas perdas e enfermidades ele foi longânimo e soube esperar em Deus e podemos ver sua vida transformada.

Benignidade: lemos que benignidade não é uma reação natural humana, mas deve ser desenvolvida no cristão para que ele possa ministrar a outras pessoas em nome de um Deus amoroso. Por isso devemos “nascer de novo” e como resposta a esse “novo nascimento” o cristão reflete o Reino de Deus naquilo que diz. As Palavras que saem da sua boca são sábias e bondosas. Sabemos que palavras podem ferir e deixar cicatrizes profundas, por isso devemos falar com a “voz do Espírito” para que penetre no coração como uma espada de dois gumes e chegue até a alma.

Bondade: Bondade é um resultado natural do amor, alegria, paz, longanimidade e benignidade ativa dentro de uma pessoa com o Fruto do Espírito (Gl 5:22). Essa mudança será notada por todos que estão a nossa volta quando nós formos cheio do Espírito. Bondade é um fruto que devemos buscar constantemente por mais que seja difícil, mas se estivermos com nosso coração em Cristo conseguiremos estar mais perto do nosso Salvador.

Fidelidade: Nós cristãos nos dias de hoje somos chamados a sermos fiéis a Deus, a nós mesmo e aos outros. Somos desafiados a manter uma confiança inabalável em Deus, mesmo em meio a provações e sofrimentos. A confiança e o compromisso com os outros são expressões essenciais de fidelidade em amor e serviço.

Mansidão: Nós vemos muitas injustiças no mundo e até no nosso meio. E isso muitas vezes nos deixa irados. Quem nunca se irou com um noticiário ou algo que julgamos injusto? E como deve ser nossa atitude em relação a tudo isso? Nossa reação deve ser orarmos e pedirmos ao Senhor paciência e um coração manso para lidarmos com situações difíceis na vida.

Em fim, chegamos ao domínio próprio. Fruto esse é essencial para o desenvolvimento pessoal. Entretanto, ele não “acontece com um passe de mágica” ou surge como um “milagre”. O cristão deve praticar esse Fruto a fim que tenha uma vida disciplinada. 

A palavra de Deus nos ensina que o domínio próprio é um Fruto do Espírito e sem esse Fruto o cristão terá poucas oportunidades de experimentar as bênçãos de Deus em sua Plenitude.

Quando temos o Espírito Santo habitando em nós, esse Fruto habita também. Costumo dizer que não são nove Frutos individuais, mas sim um Fruto com nove características e que devemos buscar constantemente.

Foram semanas de estudo, oração e busca para melhor escrever sobre o que Deus tem para nós. Espero que você tenha recebido mais de Deus e peço que continue buscando dia após dia o Fruto do Espírito Santo.

Minha oração é que nada abale nossa fé, esperança e principalmente nosso amor. 

“Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor”.(Oséias 6:3a)



Graça e Paz! 


Wélber dos Santos

You Might Also Like

0 comentários

Mensagens Mais Lidas

Pensamentos e Reflexões Cristãs

Formulário de contato