Estudos featured

As Árvores Estão Dando Frutos Outra Vez

12:50:00Marco Cicco




Creio que é senso comum a expectativa de que toda igreja deve viver em função dos outros e, que a melhor maneira dela fazer isso é sendo contemporânea e relevante.

Aliás, parece que este foi o desafio dado no inicio deste século: IGREJAS RELEVANTES! Chega de mesmice, da chatice, das regras, da metodologia arcaica, etc...

Desconstruímos tudo e tentamos fazer de novo. Mudamos a forma radicalmente: saiu o hinário tradicional e entrou a musica contemporânea. Saiu o pregador de terno e gravata e entrou o comunicador de calça jeans. Saiu o monólogo emblemático e surgiu a conversa rápida, participativa, cheia de figuras e colagens...

Tudo ia muito bem, até alguns perceberem que ao alterar a forma, o conteúdo ficou comprometido: A Bíblia não era muito ensinada. As pessoas tinham dificuldades sérias em responder questões da vida. O que “acontecia” no novo formato de celebração, não alcançava o chão do coração e da vida. A reunião é legal... Mas o efeito dura pouco. A Palavra não aprofundava suas raízes.

A soma dessas duas coisas: forma e conteúdo, fez com que muitos líderes religiosos se perguntassem: “Por que não dá certo? Por que não funciona?”. “Já implantei o programa (pacote, projeto) novo. Não funciona?”.

Desconfio que a resposta seja simples. E talvez esteja à frente de nossos olhos faz tempo:

O desafio da relevância de uma igreja não está na sua forma. Deus continua se movendo e abençoando pessoas nas igrejas mais tradicionais do mundo. Deus continua sendo adorado com hinos sacros e rock. Deus continua derramando seu Espírito e distribuindo seus dons para igrejas tradicionais, missionais, carismáticas, pentecostais, neo-pentecostais, pós-pentecostais, etc... Deus é Deus e, não é a forma que damos a uma celebração que o limitará.

O desafio da relevância de uma igreja, também não está no seu conteúdo, infelizmente! Explico: particularmente eu não abro mão de uma boa exegese e de uma explicação bem argumentada na Palavra de Deus. Acho que ninguém deveria abrir mão disso, como os irmãos bereanos ensinaram em Atos 17.11. O problema é que as pessoas se esquecem muito rápido do que é ensinado e pregado (para desespero de todos os pastores do mundo).

O que fica então? Não é forma? Não é conteúdo?

Proponho, que a relevância de uma igreja nos dias de hoje está na sua motivação.

O que define a relevância de uma igreja está no seu poder motivacional – através do exemplo em viver, expressar e experimentar as boas novas do Evangelho onde ela está inserida.

O que define a relevância de uma igreja está no seu poder motivacional em manter seus membros unidos em adoração e serviço constante. Amando em vivendo em função de seu Rei. Criador de todas as coisas. Que há de vir.

Viver neste mundo para glória de Deus. Viver o que pregamos. Verdade de vida.

“Para falar ao vento basta palavras, para falar aos corações é necessário vidas e obras”. (Pe Antonio Vieira.)

Essa é a igreja que vai mudar o mundo. Sal da terra e luz do mundo. Corações que batem em sintonia com o coração de Deus. Igreja que vai obedecer a Deus.

É nesse nível que a igreja é chamada a viver.

Qual a sua motivação?


Milton Paulo, pastor.

Milton Paulo é Pastor Sênior da Vineyard Café, Igreja Cristã localizada em Mogi das Cruzes

You Might Also Like

0 comentários

Mensagens Mais Lidas

Pensamentos e Reflexões Cristãs

Formulário de contato